Return to site

Consequências da Obesidade e como

podemos combatê-la

Pandemia do século XXI não deve ser romantizada

Pandemia no século XXI e com prevalência crescente, a obesidade aumentou no Brasil em níveis assustadores nos últimos 30 anos. Se por um lado, nas décadas de 50, 60 e 70 vivemos um período no qual a fome e a desnutrição eram o grande problema de saúde pública, nas últimas décadas a balança virou completamente e hoje a obesidade atinge todas as faixas etárias, ambos os sexos e todos os níveis de renda.

A obesidade é caracterizada pela Organização Mundial da Saúde como uma epidemia mundial condicionada principalmente pelo perfil de atividade física e nutricional, entretanto diversos outros fatores biopsicossociais estão envolvidos. O ambiente é um dos grandes agentes influenciadores sobre o aumento da obesidade e por ambiente entende-se fatores políticos, econômicos, sociais e culturais, ou seja, estar obeso ou obesa não é apenas o resultado de comer de forma desordenada e não praticar exercícios físicos. A grande maioria dos indivíduos obesos é sedentário e possui uma dieta rica em açucares, gorduras e ultraprocessados.

Além disso, a obesidade nunca esta sozinha, ela é uma doença endócrina, nutricional, metabólica e um fator de risco condicionante para outras doenças, este quadro é caracterizado como síndrome metabólica, um quadro inflamatório generalizado que pode criar as condições necessárias para a instalação de outros distúrbios. As doenças que normalmente acompanham a obesidade são por exemplo: hipertensão, diabetes tipo II, diversos tipos de câncer e problemas ortopédicos.

Mas afinal, o que é ser obeso? Esse é um bom ponto de partida para entender o assunto, a OMS e a maior parte dos serviços de saúde pública no Brasil utiliza a classificação do IMC (Índice de Massa Corporal). Esta classificação funciona assim:

Seu peso ÷ Sua altura em metros ao quadrado = ?

Exemplo: 85kg ÷ 1,82² = ? > 85kg ÷ 3,31 = 25,67

Se o resultado for:

- Menor do que 18,5 = Baixo Peso

- Entre 18,5 e 24,9 = Peso normal

- Entre 25 e 29,9 = Sobrepeso

- Entre 30 e 34,9 = Obesidade I

- Entre 35 e 39,9 = Obesidade II

- Acima de 40 = Obesidade III

Quem está habituado com esta classificação sabe que ela não é aplicável para todos os indivíduos, principalmente os que praticam atividade física vigorosa e possuem massa muscular acima da média, sejam mulheres ou homens. Entretanto, para todo o restante da população esta classificação é extremamente válida e podemos tirar ótimas conclusões, se você fez a conta ali em cima e ficou preocupado ou preocupada, calma, continue lendo!

A maior parte destes problemas que acompanham a obesidade podem ser resolvidos com o início da prática de exercícios físicos, e uma boa reeducação alimentar. Isso nós sabemos, o que temos dificuldade de assimilar é que o processo que nos leva a obesidade possui também uma série de aspectos psicológicos e ambientais que falamos lá em cima e que devem ser resolvidos também, isso não acontece de uma hora para a outra. Esse processo pode levar meses ou anos, e normalmente queremos o resultado para ontem. Não queremos te prender no processo para sempre, mas precisamos deixar claro que não é em 30 dias que tudo se resolve.

O problema que enfrentamos hoje é uma romantização da obesidade como se fosse algo normal, que o que importa é ser feliz independente de mais nada, do jeito que você é. Essa atitude é inadequada quando pensamos em uma questão de saúde pública e que pode trazer sérios problemas de saúde, você não encoraja um fumante a continuar fumando só por que ele parece feliz com o cigarro certo?

Enfim, a melhor maneira de combater a obesidade é literalmente levantando do sofá e mudando sua atitude em relação aos alimentos e à atividade física, seu corpo é seu bem mais precioso, cuide bem dele!

Sabemos que iniciar pelo programa de atividade física é uma forma tranquila de dar o primeiro passo, normalmente vai te custar apenas algumas horas por semana, a reeducação alimentar já é mais trabalhosa, envolve muitas questões sociais, mas é por uma boa causa né? Conversar com um profissional de educação física e/ou um profissional da nutrição pode ajudar muito a entender qual é a melhor opção para começar!

Vamos combater a obesidade um dia, um treino e uma refeição de cada vez!

All Posts
×

Almost done…

We just sent you an email. Please click the link in the email to confirm your subscription!

OKSubscriptions powered by Strikingly